Queda de pelo e feridas? Como ajudar?

Existem diversas doenças que causam queda de pelo e feridas nos cães. E é claro que isso preocupa os donos de pets, principalmente os mais apegados e cuidadosos. Entretanto, o melhor é entender mais sobre o assunto para saber como ajudar o animal.

Por mais que isso possa frustrar o tutor, a queda de pelos em cachorros geralmente faz parte do processo natural. Da mesma forma que acontece com os cabelos humanos, os pelos dos animais passam pelas fases de nascimento, estagnação e queda.

Entretanto, se você percebeu que seu amigo está com várias feridas e queda de pelo, o ideal é agendar uma consulta com um veterinário. Provavelmente esse processo patológico deve estar relacionado com algum outro problema.

Quando a queda de pelo se torna motivo de preocupação?

Como você viu, o processo de queda de pelos e cabelos é natural. Porém, é importante ressaltar que alguns fatores podem contribuir com a alta queda, como as mudanças de estações do ano ou gestação.

Geralmente, a queda ocorre mais excessivamente em cachorros e gatos que possuem pelos mais curtos. Isso acontece pelo motivo dessa pelagem amadurecer mais rapidamente.

Mas, se o seu pet estiver apresentando algum dos sintomas abaixo, é um indicativo de que algo não vai bem. Confira quais são e fique atento:

  • Descamação;
  • Rarefação pilosa;
  • Coceira;
  • Áreas com alopecia;
  • Cachorro se coçando com muita frequência.

Caso note algum desses sintomas, ou vários deles, procure um médico veterinário. Isso porque ele saberá como proceder para ajudar com a recuperação do seu pet.

Quais são as doenças que causam queda de pelo e feridas?

Como existem várias doenças que causam queda de pelo e feridas, o ideal é sempre procurar saber qual delas seu pet tem.  Então, o ideal é investigar, pois elas podem indicar uma série de problemas.

Atualmente, existem algumas condições mais frequentes dentro da rotina veterinária. Confira abaixo quais são junto dos seus sintomas característicos:

Infecção por fungos: Coceira excessiva (prurido), regiões com queda de pelo (rarefação pilosa) ou alopecia circular (queda em determinada região). Também é possível ter hiperpigmentação e mau cheiro;

Alergia alimentar:  Quadro de pruridos, eritema (vermelhidão), lesões com pus, crostas e descamação. Os sinais podem se manifestar de maneira localizada ou generalizada;

Presença de pulga, carrapatos e ácaros: Prurido excessivo que podem levar a rarefação pilosa, onde o pet também pode causar feridas a si mesmo por conta da coceira. No caso da sarna demodécica causada por ácaros, há presença de lesões e escurecimento da pele;

Atopia canina: isso geralmente ocorre quando o pet possui sensibilidade ao ambiente em que vive. Pode levar a prurido excessivo, eritema, lesões com pus e crostas, descamação e cheiro ruim;

Estresse e ansiedade: por fim, um animal que apresenta esses sintomas geralmente causa auto trauma pelo comportamento compulsivo. O cachorro tende a lamber muito as patas, o que pode levar, também, a um quadro com feridas no corpo.

O que fazer para ajudar seu pet?

Se o cachorro apresentar feridas no corpo e queda de pelo, o melhor para ajudá-lo é levar em uma consulta com o médico veterinário. Assim, o alívio da coceira e a recuperação da pelagem vão depender do tratamento feito e das causas diagnosticadas.

O diagnóstico geralmente é feito através de raspagem na região, citologia, cultura, antibiograma e hepatológico. Entretanto, alguns exames podem ser solicitados para confirmar o estado de saúde geral do seu pet.

Entre eles, estão os exames de imagem ou ainda os laboratoriais. Dependendo do histórico do cachorro, o diagnóstico também pode ser clínico. Quem vai definir o ideal é o médico veterinário.

Tratamento para feridas e quedas

Antes de iniciar um tratamento para as doenças que causam queda de pelo e feridas, é preciso descobrir a origem do problema. Por exemplo, se seu cachorro possui alergia a determinado alimento ou ingrediente, jamais o ofereça novamente.

O veterinário pode também recomendar rações medicamentosas e antialérgicas. E em caso onde existe infestação de carrapatos, pulgas e fungos, é preciso utilizar medicamentos contra ectoparasitas.

Em todos os quadros, o profissional pode recomendar o uso de shampoos medicamentosos que devem aliviar esses sintomas. Esses devem somente ser usados sob a prescrição de um veterinário de confiança.