Pet acima do peso

Muita gente acha uma fofura quando o pet está acima do peso. Mas, existem diversos riscos associados a essa condição. Entre eles, estão as doenças cardiovasculares, hipertensão, doenças respiratórias, diabetes, possíveis complicações em cirurgias e muitos outros.

A causa do sobrepeso pode ser variada. Sendo assim, as condições oscilam entre alimentação inadequada, sedentarismo, falta de atenção do dono, doenças endócrinas e até mesmo predisposição genética.

Porém, ajudar o seu pet a reequilibrar a saúde e perder peso não é uma tarefa tão difícil como parece. Acompanhe esse texto para saber como!

Identifique o problema

O passo mais difícil para um tutor é entender que o pet acima do peso é um problema. Muitos acham os quilos extras algo fofo, mas eles não devem ser vistos como algo bom. Quanto antes mudar a rotina do pet, melhor será para ele.

Para cachorros, estar com 15% a 20% acima do peso ideal é considerado obesidade. Então, para conseguir identificar isso, apalpe o animal na região das costelas, cintura, peitoral e base da cauda. Os ossos não devem ser aparentes, mas você precisa conseguir senti-los com facilidade, ou seja, sem pressionar muito.

Já no caso dos gatos é preciso olhar por cima e identificar se o corpo está muito redondo. O formato ideal para felinos é um tórax largo, com a cintura fina e traseira mais larga. Se o gato estiver acima do peso, ele vai apresentar uma cintura menor.

Consulte um profissional

Não deixe de consultar um médico veterinário. Isso porque é ele quem vai orientar os melhores passos para mudar a rotina do seu pet com segurança. Dessa forma, não deixe de fazer a consulta com um bom profissional antes de fazer qualquer mudança.

A perda de peso do pet deve ser feita de forma gradual, através de um programa de emagrecimento. Ele deve incluir mudanças na alimentação e ter uma rotina de exercícios, tudo sob a orientação de um veterinário.

E nunca se esqueça de que somente o profissional pode indicar quanto peso o animal deve perder por semana durante o tratamento. Dessa forma, é possível garantir a saúde do seu pet, enquanto ele perde peso.

Mude a alimentação do pet acima do peso

Primeiramente, deve-se mudar a alimentação do pet acima do peso. Então, você pode contar com a ajuda de rações industriais ou ainda com a alimentação natural.

Porém, de qualquer forma, é preciso focar nas fibras para a saciedade, e regular as proteínas, que devem ser maiores que gordura e carboidratos.

Atualmente, existem rações funcionais ou terapêuticas especiais para pets obesos. Porém, elas precisam ser utilizadas com o acompanhamento de um veterinário. Se for o caso, elas vão oferecer a alimentação ideal para a perda de peso.

Por fim, não se esqueça de inserir os suplementos na alimentação do seu pet acima do peso. Isso porque eles completam a ingestão de alimentos e fazem o balanço energético. Mas, tudo deve ser utilizado de acordo com as recomendações veterinárias.

Então, é preciso controlar a quantidade oferecida, de acordo com o grau de obesidade do animal. Isso porque é possível piorar ainda mais a situação, se tudo não for feito de forma correta.

Controle a porção de alimentos do pet acima do peso

Não basta apenas oferecer os alimentos corretos, mas sim controlar o acesso do animal a eles. Sendo assim, o veterinário deve prescrever número de refeições diárias e quantidade das porções.

Além disso, o pet acima do peso deve se alimentar apenas em horários controlados. Essa dica serve principalmente para os cães, já que eles costumam comer tudo de uma vez e ficar com fome o resto do dia.

Já para os gatos, é possível deixar o alimento disponível o tempo todo, pois eles costumam comer várias vezes ao dia, em pequenas quantidades. Porém, ainda assim é preciso controlar a quantidade. Então, pese a ração antes. Outra dica é tentar a ração úmida, que contém mais água.

Exercícios para o pet acima do peso

O passo final para o pet acima do peso reconquistar a saúde está nos exercícios. Isso porque o sobrepeso nos cães, por exemplo, força as articulações do animal. Mas, por conta disso, deve-se evitar os exercícios pesados, como pulos ou ainda subir e descer escadas.

No caso dos gatos, o melhor pode ser bolinhas e lasers. Seja como for, tanto para cães ou para gatos, é importante respeitar o ritmo do animal. Sendo assim, comece com exercícios mais leves.