Outubro Rosa: Saiba Mais Sobre Tumores de Útero em Gatas

Assim como os seres humanos, os animais também são acometidos com doenças como o câncer. Infelizmente, o tumor de útero em gatas é bastante comum e requer cuidados.

Sendo assim, também é preciso ficar de olho na saúde das gatinhas e cuidar de eventuais problemas com câncer. Portanto, abaixo você conhece mais sobre essa doença que pode afetar as fêmeas e ser muito problemática.

O que é tumor de útero em gatas?

Também conhecidos como neoplasias, os tumores são definidos como um aumento anormal de células, podendo ser benignos ou malignos. As neoplasias uterinas comum encontrada em gatas são os leiomioma, leiomiossarcomas e adenocarcinoma endometrial.

Existem outros tumores que podem afetar as gatas e acometer o útero, porém, não são tão comuns. Então, o foco acaba sendo nos exemplos acima.

Quais são as causas dos tumores uterinos?

O principal fator que influencia no desenvolvimento de tumores de útero em gata é o fator hormonal. Isso porque é comum que os donos não castrem, ou acabem injetando hormônios para parar o cio.   

Dessa forma, o uso de anticoncepcional não é aconselhado, pois já foi comprovado que predispõem o pet a desenvolver diversos tipos de neoplasias. Entre elas, estão os tumores de útero e de mama. A melhor forma de evitar o cio das gatas é a castração.

A idade avançada, predisposição genética e má alimentação também são fatores que influenciam no desenvolvimento de tumores. Sendo assim, os donos também devem ficar de olho na alimentação e bem-estar da felina.

VEJA MAIS:Odores que Gato Nenhum Gosta

Principais sinais clínicos da doença

Os tumores uterinos são assintomáticos, e a gata raramente vai mostrar sinais de que está com algum problema. A doença só pode ser descoberta através de exames com imagens. Ou seja, é preciso de auxílio veterinário.

Se a neoplasia for grande, pode comprimir o sistema urinário e o gastrointestinal. Então, é possível observar o aumento abdominal e dificuldades para fazer necessidades fisiológicas para identificar a patologia.

Como tratar tumor no útero em gata?

É importante fazer a extração cirúrgica da anomalia e enviar o material para análise (biópsia). Dessa forma é possível saber qual é o tipo de tumor e o seu grau de malignidade. Após o resultado, o veterinário decide se é preciso fazer sessões de quimioterapia.

Prevenção

A castração sempre será o método mais digno e seguro para prevenir o cio e tumores uterinos em gatas. Isso porque, sem o útero o pet não terá a descarga de hormônios reprodutivos.

As consultas rotineiras também são fundamentais. Nelas, o veterinário consegue avaliar o estado do animal e solicitar exames complementares se necessário.

Lembre-se que o método de medicação contraceptiva como injeção hormonal é extremamente cancerígeno para os animais. Portanto, é ideal não utilizar essas injeções.

A melhor opção sempre será a castração. Dessa forma, os donos estarão prevenindo o tumor no útero em gatas e outras doenças causadas pela ação dos hormônios reprodutivos.

Castração é o mais indicado para prevenir tumor

A castração é a melhor forma para prevenir vários problemas com a fêmea felina. Isso deve ser feito antes do primeiro cio do animal, entre os cinco e seis meses de idade. Essa medida reduz as chances de desenvolver um tumor no útero para quase zero.

Nas fêmeas, a castração consiste em retirar o seu sistema reprodutivo, isso inclui útero, ovários e trompas. Com a remoção, o risco de desenvolver tumores nessa região não existe mais. E é claro que o procedimento ainda ajuda na saúde em geral da gata, evitando outras doenças.

LEIA MAIS:Gato depois de castrado: o que muda após a operação?

Não utilize injeção hormonal

Atualmente, a injeção hormonal para prevenir o cio em gatas é comercializada livremente em pet shops e clínicas veterinárias. Infelizmente, as leis não ajudam, já que essa droga é liberada pelo Ministério da Agricultura.

Os tumores surgem em poucos dias após a administração da injeção. Mesmo que a gata não apresente sintomas de doenças, o problema já existe internamente, e deve ser visto e tratado. Assim você evita maiores problemas.  

A gata pode desenvolver hiperplasia mamária, infecção e tumor no útero. O que faz com que os tutores recorram a tratamento de emergência. Muitas pessoas não têm o conhecimento de como essa injeção faz mal, então acabam pedindo ajuda ou abandonando o animal.