Outubro Rosa: Contra Tumores de Mama em Gatas

No mês de outubro, ocorre a campanha nacional do Outubro Rosa. O evento tem o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância contra o câncer de mama. Mas também é importante lembrar da prevenção dos tumores de mama em gatas

Em geral, o câncer é conhecido por atingir uma boa parcela de mulheres em todo o mundo. Porém, se engana quem pensa que essa doença afeta somente os seres humanos. Como as gatas são mamíferos, elas também podem ser acometidas por essa doença.

Tumores de mama em gata: o que é?

Os tumores de mama em gatas são ocasionados por uma multiplicação desordenada das células. Dessa forma, ocorre um crescimento estranho por parte do corpo, o que acaba influenciando negativamente o funcionamento da mama.

Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o câncer de mama acomete 30% das gatas. Além disso, cerca de 85% desses tumores diagnosticados são considerados malignos e podem prejudicar a integridade física do animal.

De acordo com estudos, cerca de 20% desses diagnósticos são tardios, o que dificulta bastante o tratamento. Por esse motivo, é importante ficar sempre alerta aos sintomas que podem dar indícios do seu desenvolvimento. Outra dica são exames de rotina com o veterinário para checar se está tudo em ordem.

Tumor de mama em gatas: sintomas

Os tumores de mama em gatas se desenvolvem nas glândulas mamárias, por isso é importante sempre examinar essa região do corpo dos animais. O ideal é buscar por nódulos ao redor dos mamilos e embaixo de cada perna.

De qualquer modo, o câncer de mama em gatos tem sintomas que podem ser facilmente percebidos. Abaixo você confere quais são os mais comuns:

  • Aumento no volume das mamas, sem que o animal esteja gestante ou amamentando;
  • Presença de um carocinho, que pode ser notado ao coçar ou passar a mão na barriga da gata;
  • Feridas perto das mamas;
  • O gato lambe a região mais do que o normal.

Além disso, existem outros sintomas menos comuns. Entre eles, inchaço ou excreções, febre, tosse, mamilos doloridos, dificuldade de respiração, falta de apetite, vômito e desânimo.

Tumor de mama em gatas: fatores de risco e como prevenir

Os hormônios reprodutivos possuem impacto mais profundo no desenvolvimento de tumores de mama em gatas. Assim, fêmeas não castradas que recorrem a anticoncepcionais são mais propensas a desenvolver essa doença do que as castradas. 

Segundo pesquisas, a incidência do tumor de mama em gatos é reduzida em 90% em animais castrados antes do primeiro cio. O período ideal é perto dos seis meses de vida, e 85% antes de um ano de vida.

Além disso, é necessário saber que gatos siameses e persas são mais propensos a desenvolver a doença, sendo necessário mais atenção com essas raças. Ou seja, é preciso ter muito cuidado com seus pets.

Administrar injeções anticoncepcionais para evitar o cio também influencia no desenvolvimento de tumores de mama em gatas. Isso porque é uma alta dosagem de hormônios sintéticos. Dessa forma, é desaconselhável usar esse método contraceptivo em qualquer etapa da vida.

Além da castração, é importante que os tutores levem seus pets para consultas rotineiras em um veterinário de confiança. Essas consultas visam a detecção precoce de tumores e outras doenças.

VEJA MAIS: Outubro Rosa: Saiba Mais Sobre Tumores de Útero em Gatas

Tratamento para tumores de mama em gatas

Quando o nódulo é localizado, o médico veterinário pode pedir a citologia aspirativa para determinar se o tumor é maligno ou benigno. Em geral, é feita a retirada desse nódulo cirurgicamente, mas podem ser solicitados exames complementares pré-operatórios.

Eles incluem hemogramas, função hepática e renal, raio x de tórax, e ultrassom abdominal. Isso porque quando um tumor é maligno, esses nódulos podem ter dado metástase em outro órgão.

Gatas tem bem menos predisposição para desenvolver tumores de mama do que as cadelas e, na maioria das vezes, é pelo uso de anticoncepcional. Entretanto, quando as gatas têm tumores, são extremamente agressivos e metastáticos.

A castração precoce também tem efeito protetor. Somente a castração diminui a chance em 90% de tumores de mama em gatas. Além disso, ela ajuda no controle populacional de animais de rua e animais abandonados. Por fim, auxilia a saúde pública, diminuindo o índice de zoonoses.