Como identificar e tratar a Leucemia Felina?

Atualmente, são muitas as doenças que afetam a qualidade de vida dos gatos de estimação. E isso vale para doenças que afetam, também, os seres humanos, e são perigosíssimas. Um exemplo é a Leucemia felina, também conhecida como Felv.

Essa condição é causada por um retrovírus. Ele afeta exclusivamente os gatos. Mas, os efeitos que ele traz ao pet são muito parecidos com a leucemia nos seres humanos.

Assim, o que ocorre é a imunossupressão no felino, além do linfoma. Esse é um tipo de câncer muito perigoso e que pode ser fatal para o seu animal de estimação.

Sendo assim, a Felv felina é vista como uma das mais graves doenças que podem afetar o seu gato. Além disso, ela pode acontecer com muito mais regularidade do que você pensa.

Como a Felv Felina é transmitida?

Hoje em dia, a medicina ainda não sabe o motivo pelo qual os humanos são afetados pela leucemia. Entretanto, no caso dos gatos, sabe-se que ela é causada por um único agente, que é o retrovírus Felv.

Essa é a sigla para vírus da leucemia felina (Feline Leukemia Virus). A transmissão ocorre através do contato entre os pets, no caso um saudável e um contaminado. Para isso, o gato saudável precisa ter contato com saliva, leite, urina ou fezes do contaminado.

Com isso, é possível dizer que a transmissão é muito fácil e comum, visto que os gatos são apaixonados pela limpeza em conjunto. Além disso, eles também costumam compartilhar potinhos de ração e água, e até as caixas de areia.

Portanto, a melhor solução para evitar o contágio da leucemia felina é utilizar potes e caixas de areia separados para cada gato. Assim, seus pets estarão mais seguros.

Uma outra ótima dica é evitar com que os seus felinos possam acessar a rua. Isso porque a doença também pode se espalhar através de brigas.

Também pode ocorrer que a gata grávida passe o vírus aos filhotes durante a gestação. Um detalhe é que o Felv não passa para outras espécies, nem humanos.

Quais são os sintomas da doença?

Um detalhe importante, é que nem todos os gatos que são infectados vão desenvolver a doença. Isso porque alguns pets conseguem desenvolver uma resposta imune eficaz. Assim, o vírus é eliminado.

Entretanto, nem sempre esse é o caso. Quando o gato não consegue se livrar da doença, os sintomas costumam ser:

  • Perda de peso;
  • Anemia;
  • Apatia;
  • Problemas respiratórios;
  • Estomatites;
  • Febre;
  • Anorexia.

Com essas informações, fica fácil de perceber que o vírus causador da leucemia felina causa sintomas comuns, parecidos com os de outras doenças. Logo, o ideal é procurar auxílio veterinário caso você perceba qualquer sintoma no seu pet.

Um detalhe importante, é que os sintomas apenas aparecem na fase progressiva da doença. Essa é a hora em que o pet mais pode contaminar outros gatos, e é preciso ter cuidado.

Existem formas de prevenir a Leucemia felina?

Agora que você já conhece mais sobre essa doença que pode ser fatal, é hora de entender como cuidar da prevenção dos seus gatos. Assim, será possível oferecer uma melhor qualidade de vida aos bichanos.

A primeira dica de prevenção contra a Felv felina é utilizar mais de um pote de ração ou água, para quem tem mais de um gato. Isso também vale para as caixas de areia. É preciso acostumar cada gato ao seu espaço.

Caso algum dos seus gatos teste positivo para a doença, será preciso isolá-lo dos outros felinos, o quanto antes. Com isso, você impede que ela se espalhe.

Uma boa dica também é manter a saúde dos gatos em dia, através de uma alimentação balanceada. Portanto, ofereça sempre uma ração de qualidade. Também é preciso evitar ovos crus, leite não pasteurizado, carnes, e sempre levar o pet no veterinário regularmente.

Por fim, é muito bom realizar a castração dos seus felinos. Essa é uma das melhores medidas preventivas, já que ela vai inibir comportamentos problemáticos dos gatos, como fugir para a rua.

Dessa forma, o contato com felinos infectados é reduzido ao mínimo. Além disso, uma outra dica é colocar telas nas suas janelas, e manter as portas fechadas. Assim, nada de contato com a rua para o pet.