Doenças comuns em cachorros

Atualmente, são diversos os perigos para os cães de estimação. Isso porque diversos vírus, bactérias, mosquitos e outros parasitas podem causar doenças comuns em cachorros. Nesse texto, você conhece as mais comuns.

Esse é um assunto bastante preocupante já que, além de fatais, algumas delas são transmissíveis aos seres humanos. Um outro detalhe é que podem acabar sendo de fácil contágio.

Abaixo, confira mais sobre cada uma dessas doenças e saiba mais sobre sintomas e prevenção. Assim você poderá garantir a saúde e bem-estar do seu animal de estimação.

1.     Cinomose

A Cinomose é uma doença causada em cachorros e que é altamente contagiosa. Ela é extremamente grave e pode levar o animal a óbito se não for diagnosticada precocemente.

Na sua fase inicial, é possível observar diarreia frequente no seu pet. Já nas fases mais avançadas, é possível notar secreções amareladas saindo do nariz e olhos.

Por fim, o cão fica com dificuldades de andar, possui tremores, convulsões e paralisia. Esses são os sintomas mais comuns dessa que é uma das principais doenças em cachorros.

Infelizmente, não existe um tratamento efetivo para combater a Cinomose. É possível apenas amenizar os sintomas através de terapias alternativas.

Entretanto, a doença tem possibilidade de cura se tratada adequadamente, mas sempre deixa sequelas para o resto da vida do animal. Logo, é importante vacinar seu pet com as vacinas V8, V10 e V12 e sempre fazer o reforço anualmente.

2.     Parvovirose

A parvovirose é uma doença viral que pode atingir tanto o sistema gastrointestinal como também o coração, podendo trazer o animal a óbito. Ela tem como principais sintomas a diarreia com sangue, febre, falta de apetite, vômitos, perda de peso repentina e anorexia.

O diagnóstico é feito através de exames de fezes, para identificar a presença do vírus no animal. Então, o tratamento consiste em isolar o animal para não haver novos contágios, logo após ele recebe a reposição dos líquidos perdidos e antibióticos.

Manter as vacinas em dia é o ideal para o seu pet. Entretanto, tenha sempre em mente que isso não garante a imunidade para a parvovirose.

3.     Traqueobronquite Infecciosa (Tosse dos Canis)

A tosse dos canis inicialmente parece uma gripe leve, mas pode ser letal se não tratada corretamente. Isso porque a doença possui como sintomas a Tosse seca, febre, perda de apetite, dificuldade para respirar e respiração rápida. Em alguns casos podem ocorrer vômitos.

Com uma consulta simples ao veterinário, é possível identificar a doença. Mas, para garantir, é melhor fazer exames específicos. O tratamento é feito à base de antibióticos e somente o veterinário pode indicar os melhores medicamentos.

Para evitar a tosse dos canis, o ideal é não passear com o pet em locais com grande fluxo de animais. Isso ocorre pela forma de propagação do vírus, que é pelo ar.

Outra forma é vacinar o seu pet com a vacina contra a traqueite. Isso porque ela é responsável por combater o vírus que transmite a doença.

4.     Raiva

A raiva é uma das doenças em cachorros mais grave, além de não possuir cura. Além disso, ela é facilmente transmitida para humanos e outros animais.

Assim, a doença atinge o sistema nervoso do animal e o deixa desorientado. Dessa forma, o cão acaba atacando e transmitindo a doença pela sua saliva. 

O cachorro leva até 3 meses para apresentar os sintomas da raiva. Eles variam entre febre, vômitos, dor de cabeça, desorientação, cansaço, falta de coordenação e a famosa babadeira e ataques nervosos.

Após isso, o animal vem a óbito ou a coma, sendo a única solução a eutanásia. A única forma de evitar a doença é fazer a vacinação antirrábica e seguir o calendário à risca.

5.     Leishmaniose

Por fim, a leishmaniose possui algumas variações, a mais comum em cachorro é a visceral. A doença é transmitida através da picada do mosquito palha, que deposita o parasita leishmania. É de preocupação de saúde pública, pois é transmitida para seres humanos. 

Tem como principais sintomas as feridas que não cicatrizam, descamação de pele, coloração pálida, secreção saindo dos olhos e infecção nas patas.  Além disso, como o parasita ainda atinge os órgãos, vômitos, fezes com sangue e perda de apetite também são sinais comuns.

Atualmente, essa doença não possui cura. O tratamento consiste em retardar os efeitos do parasita no organismo do cachorro com medicações. O diagnóstico é feito através de exames de sangue, sorológicos e patológicos.

A melhor forma de evitar a doença é manter o mosquito transmissor longe. Para isso, é ideal manter o ambiente limpo, sem aglomeração de lixos e entulhos que possam acumular água parada. Enfim, é uma das doenças mais comuns em cachorros.