Cão com raiva

Um cão com raiva pode ser um grande problema para os donos do animal. E o pior, esses animais afetados podem, também, apresentar perigo para pessoas de fora da família, ou para todos, se forem de rua.

Isso porque a raiva é uma doença extremamente séria que acomete mamíferos, incluindo o homem. Ela nada mais é do que uma encefalite progressiva aguda e uma letalidade de 100%. É provocada pelo vírus do gênero Lyssavirus, da família Rabhdoviridae.

Como a raiva é transmitida?

A raiva é transmitida através da saliva por mordidas de animais infectados. Além disso, ela também pode ser transmitida também através de arranhões ou até lambidas.

O período de incubação do vírus varia de acordo com a espécie, podendo demorar anos para se manifestar. Em seres humanos, a raiva pode levar até 45 dias, podendo ser mais rápido em crianças.

Entretanto, o período de incubação tem relação com a localização ou profundidade do ocorrido. Isso vai depender da mordida, arranhão ou lambida.

Em animais domésticos (cães e gatos), a transmissão do vírus pela saliva ocorre de 2 a 5 dias antes do surgimento dos sinais clínicos. Ela persiste durante toda a evolução da doença. Geralmente, o animal falece após 5 ou 7 dias após apresentar os sintomas.

Atualmente, não se sabe qual é o período de transmissão do vírus em animais silvestres. Porém, sabemos que os morcegos podem albergar o vírus por um longo período sem apresentar sintomas, sendo o principal proliferador da doença.

Quais são os sintomas apresentados pelo cão com raiva?

Os sintomas clínicos da raiva duram entre 2 e 10 dias. Durante esse período, o animal pode apresentar:

  • Mal-estar geral;
  • Aumento de temperatura;
  • Anorexia;
  • Cefaleia;
  • Náuseas;
  • Dor de garganta;
  • Entorpecimento;
  • Irritabilidade;
  • Inquietude;
  • Sensação de angústia, entre outros.  

Esses sintomas costumam aparecer após o período de incubação do vírus. Portanto, é preciso tomar cuidado e prestar atenção nos prazos.

Como é feito o diagnóstico da raiva?

O diagnóstico da raiva em cachorros é feito após a sua morte. Isso ocorre porque é necessário extrair amostras do cérebro do animal para realizar exames laboratoriais. Entretanto, durante a vida do animal é possível ter a suspeita de contaminação com o suporte de exames clínicos.

Em seres humanos, a confirmação do vírus da raiva pode ser realizada através dos métodos de imunofluorescência direta. Também é possível usar o raspado de mucosa lingual, impressão de córnea ou por biópsia de pele na região cervical.

Ainda assim, o vírus às vezes não pode ser identificado nos primeiros exames, não sendo excluída a possibilidade de infecção. Realizar autópsias é de extrema importância para ter uma confirmação mais precisa.

LEIA AINDA: https://www.centroveterinariofernandes.com.br/dicasdovet/vacina-para-cachorro-tudo-o-que-voce-precisa-saber-para-proteger-o-seu-cao/

Tratamento e Prevenção

Um cachorro infectado pode apresentar dois tipos de raiva: a forma furiosa e a forma muda. Cada uma delas possui suas diferenças, portanto é necessário prestar atenção.

Na forma furiosa, o cachorro fica agressivo ao extremo, latindo mais que o necessário, rouco, apresentando agressividade até com os tutores. Ela é mais fácil de ter a suspeita de que seu animal está com raiva canina.

A raiva muda é mais preocupante, pois o animal não apresenta sintomas tão evidentes. Os maxilares ficam mais rígidos ou paralisados quase o tempo todo, indicando que o tutor deve o levar para o veterinário imediatamente. 

Em ambos os casos não existe cura e nem tratamento. Quando existe suspeita de raiva canina, o mais indicado é a eutanásia. Mas apenas nos casos em que o animal já está com os sintomas bem evidentes, bem debilitado e não consegue se alimentar ou beber água.

A melhor forma de prevenir essa doença é a vacinação. O animal pode ser vacinado ainda bebê, aos 4 meses de vida. Por ser uma doença letal, a vacina é a maior prova de amor que você pode dar ao seu pet e a todos que convivem com ele.

Para tutores que residem em local com mais mata, o ideal é se manter sempre vigilante a possível aproximação de animais silvestres. Animais contaminados podem ficar desorientados, se tornando alvos fáceis para cães e gatos.

Se algum comportamento estranho for observado, é preciso acionar a Polícia Ambiental através do telefone 190, e jamais tocar no animal com suspeita. A prevenção é o melhor tratamento.

Onde aplicar a vacina no cão com raiva em Cotia?

Se você precisa de ajuda com um cão com raiva e quer aplicar a vacina em cotia, pode contar com o Centro Veterinário Fernandes. Contamos com todos os aparelhos necessários para que o seu pet receba um bom atendimento.

Assim, seu melhor amigo poderá tomar a vacina contra a raiva com conforto e segurança. Além disso, o centro também oferece laboratórios especializados, cirurgias, consultas e muito mais.