Cachorro e gato morando juntos: quais os cuidados?

Será que é possível manter cachorro e gato morando juntos? Essa é uma dúvida muito comum, já que o imaginário popular sempre viu esses dois animais como inimigos mortais.

Sendo assim, é comum que as pessoas acreditem no mito de que um gato nunca pode aparecer na frente de um cão, e vice-versa.

Mas, como tudo muda, esse pensamento também já está ultrapassado. Atualmente, é super normal encontrar ambos os bichos vivendo na mesma casa, como pets. E eles podem até ser amigos inseparáveis!

Entretanto, é preciso ter cuidado. Isso porque essa amizade entre as espécies pode não ser a regra, e também é comum ver muitos cães e gatos em pé de guerra. Então, é preciso tempo para adaptar a convivência de ambos os pets, em conjunto com a rotina da família.

Nesse texto você confere 3 dicas de como conviver com um cachorro e gato morando juntos. Acompanhe e melhore o contato entre os seus animais de estimação.

Cachorro e gato: você pode ter os dois juntos sem nenhum problema

Como visto acima, não é preciso escolher qual dos dois pets é o seu favorito, e ter apenas ele. É possível desenvolver harmonia durante as interações dos dois animais.

Entretanto, é preciso ter consciência de que o processo pode ser um pouco trabalhoso. Afinal, é importante entender alguns detalhes antes de começar o processo de adaptação.

Primeiramente, será preciso compreender que cães e gatos são animais totalmente diferentes. Além disso, você deve seguir as outras dicas abaixo para garantir cachorro e gato morando juntos:

Não deixe o cachorro fazer o gato de brinquedo

Você provavelmente já percebeu que os cães são, em geral, animais muito maiores do que os gatos.

Sendo assim, é comum que eles costumem brincar de maneira muito agressiva, em alguns casos. Então, é preciso ter cuidado na hora de aproximar os dois pets.

Como os gatos são menores, eles podem acabar se machucando e ficando bravos caso algum acidente ocorra. Portanto, você deve ficar atento para os momentos em que o cão interage com o gato, e vice-versa.

Supervisione as brincadeiras em conjunto para que eles entendam que nenhum dos dois é um brinquedo. Assim, tanto o cão quanto o gato podem começar a ter certeza de que devem respeitar o outro, e viver pacificamente.

Entretanto, é claro que existem os cães que são mais hiperativos e não conseguem controlar a força. Esses casos são exceções, mas acontecem, e o ideal é tirar o foco de cima do gato para outro brinquedo.

Uma boa dica é selecionar um item ou brinquedo que o cachorro gosta muito mais do que o gato. Assim, ambos podem entender que o outro não é um brinquedo e vão criar uma forma única de se divertir em conjunto.

Mas, se você não se sentir preparado para fazer essa adaptação, ou ainda não tiver tempo, é sempre possível procurar auxílio profissional. Encontre um treinador de confiança.

Invista em difusores de feromônios para acalmar os pets

Atualmente, é comum encontrar em praticamente qualquer pet shop os famosos difusores de essências. Esses produtos liberam feromônios próprios para acalmar os pets. Sendo assim, é muito mais fácil manter cachorro e gato morando juntos.

A indicação desse tipo de produto vem direto de especialistas, que confirmam a eficácia que eles têm em conseguir realmente acalmar os animais.

Portanto, os difusores de essências acabam acalmando e tranquilizando os seus animais de estimação. Entretanto, é preciso garantir uma versão do produto para cada animal. Isso porque cães e gatos reagem a feromônios diferentes, de formas diferentes.

Mas, com os produtos certos no ambiente onde os pets mais interagem com as outras espécies, a eficácia é garantida. Afinal, fica mais difícil de acontecer acidentes durante as brincadeiras se ambos os pets estiverem tranquilizados.

Dê a mesma atenção para o gato e o cachorro

Por fim, a melhor dica para ter cachorro e gato morando juntos está justamente no acolhimento e carinho. Como dono, você vai precisar dar atenção para todos os seus animais de estimação, independente da espécie.

Os animais também sentem, e eles tem noção de quando são deixados de lado. Isso causa angústia e até depressão, o que pode gerar comportamentos inadequados.

Portanto, é preciso que todos se sintam amados de forma igual, para que nenhum comece a agir de maneira estranha em relação ao outro.